Zebra

Nome Popular: Zebra
Nome científico: Equus burchelli
Onde vive: Nas savanas da África
Tamanho: Comprimento é de 2,4cm
Quanto pesa: 250 a 320kg
Filhotes por gestação: 360 dias de gestação, nascendo uma só cria, raríssimos os partos múltiplos












Status Gerais:

Com exceção da sub-espécie: Zebra das Montanhas

A zebra é um dos poucos eqüídeos, de listas brancas e pretas em seu corpo, esse pequeno "cavalo" é um dos poucos dos originários da América que sobreviveram.
Ela pode nadar, embora não seja uma atividade da qual ela goste, para atravessar um rio, é necessário um motivo importante. Manter a cabeça
acima da superfície da água, é uma posição que incomoda esses animais. Os motivos que podem fazer uma manada de zebras atravessar um lago, pode ser um pasto verdejante no outro lado, o que poderia fazer uma manada inteira atravessar um lago, ou um rio, de grandes dimensões. Para um macho que vê uma fêmea na outra margem, não teme atravessar o curso da água.
Para se livrar de insetos e parasitas, elas se jogam na terra, rolando de um lado para o outro, e assim que uma começa a fazer tais movimentos, juntam-se outros membros para imitá-la também, pois são animais extremamente sociais. Todos os equídeos rolam em chão poeirento para se livrar de insetos indesejáveis.
Embora não pareça, cada zebra tem um padrão diferente de listras. Assim como a impressão digital dos humanos, cada um dos animais têm um padrão próprio de listras que se diferem uma das outras de suas colegas. Esses padrões servem não só para os cientistas, mas provavelmente, também para as zebras se reconhecerem entre si. Elas se reconhecem também por relinches, zurros e odores.
Quando um filhote é recém-nascido, ele mal aguenta o peso do próprio corpo sobre as patas. A mãe dele, o lambe para retira-lo de dentro do invólucro que abriu assim que nasceu, mas, ainda assim, ficou por cima de parte de seu corpo.
A aprendizagem dos potros é interessante, uma das coisas da qual eles aprendem é que, quando ainda pequenos é seguir sua mãe, segui-la cegamente, em qualquer lugar onde ela os leve, esta é uma das lições mais importantes que o filhote deve aprender logo após os primeiros meses de vida. O macho também zela pela cria, como quando ela se perde, o próprio vai atrás dela. A fêmea é quem a amamenta até o sexto ou sétimo mês de vida.
Os cascos são as armas das zebras, tanto pelas bordas cortantes, quanto a força dos temíveis coices. Quando os machos brigam, eles tentam sempre proteger as patas das mordidas de seus oponentes, mas quando eles brigam a valer, as mordidas podem ser sérias e acabar por fazer ferimentos graves. No entanto, na maioria das vezes as supostas lutas são apenas simulações. Enquanto para outros animais, o vencedor da luta é aquele que demonstra maior força e brutalidade, para as zebras, o vencedor é aquele que mostra ser mais ágil que o seu oponente, podendo mudar a direção repentinamente, para depois voltar a sua posição de ataque.
A alimentação da zebra baseia-se em pastar, mas, mesmo quando pastando, ainda assim é perigoso que predadores os surpreendam em ataques, então enquanto pastam se mantêm sempre atentos, para não serem pegados em ataques surpresas. Para ajudar na observação do terreno eles sempre procuram pastar em campos abertos, com a família por perto.
As zebras bebem água pelo menos uma vez a cada dia, ainda assim, têm de tomar cuidado com possíveis crocodilos que os espreitam p
erto das margens onde elas se aproximam para matar a sede.
Atualmente existe aproximadamente 300.000 zebras na África com a maior parte concentrada na Tanzânia e no Quênia, onde reservas e parques nacionais de vasto porte permite que as zebras possam fazer a migração de cada ano.
As zebras, normalmente, não são encontradas em fazendas ou sítios porque é necessário um espaço muito grande e são animais de difícil domesticação, por isso são capturadas unicamente para estudo e tratamento, logo após são soltas pelos cientistas no habitat natural dessa espécie.

CuRiOsIdAdEs:
Uma zebra, imóvel, quando suas semelhantes a cheiram e dão-lhe mordiscadas, e ela aceita, esse comportamento mostra que, provavelmente, são da mesma família.





6 comentários:

Cintia disse...

muito legal seu blog!
vou colocar seu banner lá sim, manda pra mim, não achei ele aqui no blog para copiar!
(cintiasibucs@gmail.com)

abçs
cintia

MiKa disse...

Ola allan, eu coloquei seu banner sim so que eu o coloquei um outro codigo sem ser aquele que vc me mandou por email, so que deve ter dado algum problema, pra comferir, faça o seguinte, clique com o direito do mouse e clique em codigo fonte que vc vera os parceiros la e seu codigo la, mas eu vou recooloca- lo la de novo.
Obrigado por imformar.

Paulo Romero disse...

Muito bom esse seu blog,com certeza,quem gosta de animais não pode deixar de visitá-lo...
Eu também tenho um blog sobre abelhas nativas http://www.urucueabelhasnativas.blogspot.com

Um abraço.
Paulo Romero.
João Pessoa,PB.

c i n t i a disse...

olá!
tem um selinho pra vc no meu blog, passa lá!

abçs
cintia

John Rackham disse...

Obrigado, o colocarei assim que possível

Allan - Animal em Risco

Anônimo disse...

Acho que devia de estar por tópicos e não um texto tão grande! é a minha opiniao.
Beijo