Camelo

Nome Popular: Camelo
Nome científico: Camelus dromedarius
Onde vive: No deserto e semi-deserto do Saara ocidental à Índia, incluindo o Chifre da África e a Península Arábica; introduzido na Austrália
Tamanho: Altura é de 1,70 à 2,10
Quanto pesa: 400 à 700kg. A fêmea pesa menos que o macho
Filhotes por gestação:
A gestação é de 13 meses nascendo 1 filhote





Status Gerais:





Na Ásia central, este animal consegue transportar sobre o dorso uma carga de mais de 300kg já nos desertos áridos cai o desempenho para 100kg. Camelos asiáticos de duas corcovas, ou dromedário africanos com apenas uma, esses animais de origem do América do Norte, há muitos e muitos mil anos.

Os camelos são os maiores animais que conseguem sobreviver no deserto escaldante. No entanto para se adaptar assim, foi necessário a adaptação deste animal, partes simples do corpo como:

  • Pêlos isolantes, ao frio no inverno e ao calor no verão
  • Narinas que podem se fechar para evitar a perda de água do corpo e para não entrar areia, nas tempestades de areia
  • Gordura nas corcovas, no tempo que houver pouca comida, é dali que que eles gastam a energia
  • Lábio superior com uma fenda para que possam arrancar as folhas de galhos com espinhos sem se ferirem
Mas, ainda assim, com todas essas adaptações, eles ficaram a mercê de leões, seus predadores, pois não conseguiam manter a velocidade necessária para fugir.
Ainda assim as adaptações dos camelos para andar no deserto é perfeita. Os pés almofadados que não deixam que ele queime os pés nas areias quentes, o que facilita a "marcha" sobre a areia macia e terrenos com pedras, apesar de que muitas vezes se machucam ao passar por desertos pedregosos.

Os passos que os camelos dão são um pouco diferentes em relação a outros animais devido ao fato de que tem as patas compridas e se apoiam apenas sobre dois dedos. No entanto, isto não impede que atravessem o deserto sem muitos problemas, graças às almofadas fibrosas elásticas que isolam seus pés do calor solo e os impedem de se enterrar na areia. A marcha habitual é em passo travado, que consiste em deslocar simultaneamente os membros de um mesmo lado do corpo. Desta forma, o camelo pode percorrer de 30 a 40 km/dia em um ritmo de 3,5 km/h, apesar de não poder manter por muito mais tempo esse ritmo.
Quando andam, quase sempre ficam uns atrás dos outros; esse é um dos motivos que os tornaram tão fáceis de domesticá-los, dando origem as grandes caravanas que existem até hoje em muitas regiões desérticas. No entanto, quando andam todos desta maneira, sua velocidade não passa de 3,5km/h. As cáfilas podem manter esse passo por dias e dias.
Quando encontram bastante água, eles tomam banho, o que é muito prazeroso para esses animais. Quando chove no deserto, a água acumula-se rapidamente, formando charcos que se mantêm por algum tempo: nessa oportunidade, os camelos bebem grande quantidade de água, de 120 a 130 litros de uma só vez. Na verdade não é um volume muito grande, se considerarmos as dimensões desses ruminantes, capazes de permanecer sem ingerir nenhum líquido por até 8 dias.
Graças à sua estrutura morfológica, esses animais conseguem comer as folhas que se encontram até 3,5m acima do solo, uma altura maior que a alcançada pelas cabras ou bois. A girafa é a única que pode superar essa altura. Graças a sua estatura, quando as plantas rasteiras estão queimadas pelo sol, basta que eles levantem a cabeça e, comam à vontade as folhas das plantas mais resistentes, ou seja, com raízes mais profundas, dando mais força à planta. Outra característica muito importante que os ajuda são seus lábios, que têm um corte bem no meio na parte superior, fazendo com que eles sejam capazes de, por exemplo, colocarem na boca um galho e puxá-lo de tal maneira que não se machuquem e "delicadamente" colham as folhas da planta.
O camelo é um ruminante, ele come as plantas e depois "regorgitam" de volta na boca para a mastigarem novamente.
A fêmea fica sempre próxima à cria para garantir a sua proteção, uma vez que para um leão, por exemplo, a cria seria uma presa fácil. A presença de quem cuida da manada (o cameleiro) também é uma opção de proteção favorável, mas na maioria das vezes ele foge.
Na briga para o acasalamento, os combates são quase sempre muito violentos. Na Turquia os ataques entre camelos eram feitos propositalmente, para as pessoas assistirem, mas os "espetáculos" foram proibidos no final de 1967.

7 comentários:

Igor Nascimento disse...

Excelente blog, já adicionei seu banner. Queria lhe propor uma parceria com meu blog:

http://discoveryblog-documentarios.blogspot.com/

Espero respostas. Abraço

Eu Amo Cães... disse...

Olá, seu banner já foi adicionado. Obrigado pelo contato.

Att.,

Equipe Eu Amo Cães...

Ricardo Rodrigues disse...

Oi. Aqui é o Ricardo, do Bio na Web.

Adicionei seu banner também. Parceria ok!

Parabéns pelo excelente blog!

Grande abraço!

Animal em Risco disse...

Sim eu aceito a parceria Igor Nascimento, o seu blog é muito bom!

Equipe Animal em Risco

Animal em Risco disse...

Nós agrademos à todos que aceitaram as propostas de parcerias, os seu blogs foram selecionados por toda a equipe!

Equipe Animal em Risco

c i n t i a disse...

gostei do "pouco preocupantes"! srsr!
pelo menos quem anda pelo deserto sempre vai poder contar com os lindos e amaveis camelos!!!!

abçs
cintia

Igor Santana disse...

Muito bom! O conteúdo referente a camelos neste blog, com as informações físicas do animal retratado, quanto às características naturais climáticas e físicas de seu habitat natural, tanto como seus predadores biológicos naturais, me auxiliaram bastante na elaboração de um texto para um trabalho de Biologia.