Elefante

Nome Popular: Elefante-africano
Nome científico: Loxodonta africana
Onde vive: África, florestas, campos savanas e áreas semi-desérticas
Tamanho:
3 metros de altura.
Quanto pesa: 7 ton
Filhotes por gestação: Gestação de aproximadamente 660 dias (20 a 22 meses), nascendo apenas 1 filhote




Status Gerais:


Quase Ameaçado

Protegido






Os elefantes elegem para a sua proteção uma matriarca, o membro mais velho da manada; a matriarca é aquela que lembra do caminho por onde percorrem e por tanto pode-se dizer que é ela quem lembra o caminho da sobrevivência, o grupo de onde as fêmeas vivem têm de 10 a 15 membros, onde há várias reprodutoras e filhotes de idades diversas, os machos na idade jovem, podem viver em pequenos grupos e, os machos na idade adulta vivem isolados, encontrando as fêmeas apenas no período de reprodução.
Os filhotes do grupo nascem pesando em média uns 90kg e caminham no centro da manada como forma de proteção.
Sensível como a ponta dos dedos, a tromba é utilizada como um quinto braço, quando totalmente desenvolvida, serve para a derrubada das árvores para pegar das copas os brotes dos quais eles adoram (como fonte de alimentação). Mas pode também apenas pegar frutinhos do solo.
A tromba do elefante é muito importante para a sua sua sobrevivência, pois é por meio dela que esse mamífero consegue beber água, ele chupa a água com sua tromba, e despeja-a em sua boca, onde ele bebe o máximo o possível até que a água escorra. A tromba pode se agarrar também nos ramos das árvores para colocá-la em sua boca e ingerir o alimento tão necessário para sua sobrevivência, pois ele é herbívoro. Sua alimentação compõe-se basicamente de ervas, gramíeas, frutas e ramos de árvores. Um elefante totalmente desenvolvido pode comer 70 a 150kg de alimento por dia.
Os Elefantes-Africanos são maiores e têm orelhas mais desenvolvidas que a espécie asiática, o desenvolvimento das orelhas é uma adaptação para a refrigeração de seu corpo quando está em temperaturas altas; outra diferença importante é a ausência de presas de marfim nos elefantes asiáticos. O marfim é usado para a derrubada de árvores e para cavar o solo, para pegar coisas como fonte de alimentação.
Os elefantes africanos são caçados por décadas, para que os caçadores retirem as presas desses animais, que atingem preços absurdos no mercado negro. Nesses últimos anos foi proibido o comércio das presas de elefantes; todas as que estavam com os comerciantes forma queimadas para evitar que alguém compre esses produtos ilegais.
As guerras que permanecem em todos ou quase todos os países africanos, mataram os elefantes de grandes territórios para usarem sua presa para o armamento da guerra. Mas hoje, em alguns lugares há reservas para a proteção dos elefantes, o que levou a uma superpopulação em alguns desses parques. Com o número elevado de mais desses bichos, essas reservas abrem as portas de tempos em tempos para caçadores, que caçam com a autorização, alguns elefantes velhos de mais e com problemas. Isso alivia a pressão da caça ilegal, onde existe maior número deles e mantém as manados num número de populacional o suficiente para sobrevivência nas reservas de parques.
Os elefantes são animais que raramente adoecem e, quando isso ocorre, eles resistem por um tempo relativamente longo antes de serem ameaçados pela doença, isso graças ao tamanho do seu organismo. O cativeiro não é um lugar bom para a reprodução.
Por ser um animal de grande porte, e em relação a outros animais, ele se sente confortável na selva. Em geral, eles só aceitam animais da mesma espécie, embora não tenham medo de ninguém, todos os predadores ficam um pouco inquietos. Os elefantes também ficam inquietos até mesmo com animais que não são predadores como búfalos e rinocerontes.

CuRiOsIdAdEs: 


  • O Elefante é o maior mamífero terrestre.
  • A tromba do elefante têm aproximadamente 401 mil músculos.
  • Os elefantes morrem com cerca de 60 anos, quando seus molares caem impedindo a sua alimentação.

Nenhum comentário: