Monstro de Gila


Nome Popular: Monstro de Gila
Nome científico: Heloderma suspectum
Onde vive: Vive nas regiões desérticas, áridas e mais quentes do sudoeste norte-americano e noroeste do México
Tamanho: Até 60 cm
Peso: Carca de 1,5 kg
Filhotes por gestação: De 3 semanas a 2 meses para botar de 12 a 15 ovos, que eclodem em um mês





Status Gerais
Quase Ameaçado
Segundo a IUCN

Protegido
















É uma espécie de lagarto venenoso, e, ao contrário das cobras, injeta as toxinas com sulcos que há nos dentes de trás, e sempre que mordem injetam este veneno e impregnem vagarosamente na ferida, por isso quando mordem ficam um bom tempo com a mandíbula fechada (que por sinal é muito forte) para conseguir inocular uma dose maior. Assim que mordem, as vítimas já sentem uma dor intensa. Só mordem seres naiores quando estão feridos e para se defenderem.
Vivem em bandos com um macho dominante e já que não são muito caçadores, são raras as brigas por território. Geralmente para capturar uma presa primeiro sentem seu cheiro com seu olfato muito apurado e ficam imóveis esperando que a presa se aproxime para, enfim, mordê-la e envenená-la. Assim como as cobras, sentem o cheiro com a língua, deixando que pequenas partículas que estão no ar fiquem na língua e depois as leva até um órgão olfativo que fica no céu da boca. Podem comer pequenos roedores, como ratos e coelhos, outros lagartos, ovos que encontrarem, e, quando possível, até aves. Embora sejam lentos, são ótimos escaladores e sempre sobem nas árvores para roubar ovos dos ninhos das aves.
As tarântulas, que são aranhas venenosas que habitam a mesma região que eles quase nunca os enfrenta, sempre fogem, evitando serem devoradas.

Não há dimorfismo sexual na espécie, o único modo de se saber o sexo é os observar na época de acasalamento que ocorre no verão, quando a temperatura é mais alta e, já que precisam do calor para regular a temperatura interna, ficam mais ativos. Quando o acasalamento acaba o macho precisa ir embora antes que a fêmea bote os ovos para evitar de receber ataques. Após duas ou três semanas depois do acasalamento a fêmea bota os ovos e os esconde na areia, da onde nascerão os filhotes daí um mês. Vivem cerca de 20 anos.

Sendo sua cor principal o preto, eles evitam ficar no sol durante muito tempo no verão para não se sobreaquecer, durante esta época do ano geralmente ficam mais ativos durante a noite, já no inverno, quando na natureza, costumam hibernar e gastam das calorias que acumulam na cauda que é um terço do tamanho total.

Foto(s) retirada(s) do(s) site(s):

Nenhum comentário: